ANO VIII - 2007/2014 - www.curiosidadescatolicas.blogspot.com - Um Blog Católico Apostólico Romano - Produzido em Volta Redonda - R. Janeiro - Brasil.

Seja bem-vindo. Hoje é

30 de mar de 2009

O que é HOMILIA?

HOMILIA É CONVERSA DE FAMÍLIA
A palavra homilia é de origem grega e significa “conversa familiar”. Esta conversa é caracterizada por aqueles momentos prazerosos em que os filhos se reúnem ao redor do pai da família para ouvir e aprender os casos e fatos de sua vasta e sábia experiência, fazendo saltar aos olhos de todos os valores que conduzem ao sublime sentido da vida: o amor.

Sabemos que no mundo existem mais ou menos 48.000 sacerdotes e aproximadamente 900 bispos. Sabemos também que a cada semana, dois ou três públicos, mais ou menos fixos freqüentam nossos templos. Estes fiéis, sedentos de Deus, para a Igreja se dirigem em busca de algo consistente para suas vidas, desejando alimentarem-se de algo sólido. Cabe, pois, a este artigo, a tarefa de refletir sobre esta disponibilidade do povo de Deus, como também sobre a riqueza que é a Palavra de Deus partilhada, familiarmente, na homilia.

Vemos que a maioria de nossas homilias já não convence, não são preparadas, são mal feitas, expostas de forma incompreensível, dando descrédito ao Evangelho, itinerário da salvação. Elas não mais despertam o desejo de conversão e, não são capazes de criar uma realidade nova nas pessoas e na sociedade. O que acontece com a comunicação em nossas celebrações? O que falta? Zelo? Cuidado? Orientação?

O Departamento de Liturgia do Celam – o DELC – oferece um vasto instrumental de reflexão sobre a homilia, a fim de que por meio do Anúncio da Palavra haja santificação.
Queira Deus, o Absoluto dos nossos dias, que nos abramos ao Espírito de Amor que vem para suprir nossa pobreza.

A homilia
A palavra homilia é de origem grega e significa “conversa familiar”. Esta conversa é caracterizada por aqueles momentos prazerosos em que os filhos se reúnem ao redor do pai da família para ouvir e aprender os casos e fatos de sua vasta e sábia experiência, fazendo saltar aos olhos de todos os valores que conduzem ao sublime sentido da vida: o amor.

A homilia ultrapassa o que entendemos por discursos solenes, explanações moralistas, “elucubrações mentais”, aula de catequese, ou até mesmo exposições científicas, teológicas e filosóficas. Ela faz referência, pura e simplesmente, ao amor existente entre pai e filhos, à intimidade do lar. Ela não deve jamais afastar as pessoas, mas sim, atraí-las, aproximá-las da realidade celebrativa em que Deus fala aos corações, uma vez que, só os filhos possuem os corações escancarados para o Pai que lhes fala. Na homilia o sacerdote ou ministro da Palavra, deve ser íntimo da comunidade, porém, deve antes manter uma intimidade com o mistério de Deus. Tal intimidade é alcançada de modo perfeito pela oração. O pregador que gasta tempo conversando com Deus, com toda certeza, terá muito a partilhar com aqueles que o escutam.

A essência da homilia está na instrução, edificação e santificação dos fiéis a propósito dos mistérios da fé. Tecnicamente, na homilia, encontram-se duas funções litúrgicas importantes: função aplicativa, que é a de ser uma aplicação da mensagem bíblica ao hoje e aqui de nossas vidas; função viária, que é a de ser ponte entre a liturgia da Palavra e a liturgia sacramental. Ambas as funções são sublinhadas pela Constituição Dogmática Sacrosanctum Concilium (cf: 35 e 7), que nos mostra que a homilia não é um ato isolado, ou algo que separe a Liturgia Verbi (liturgia da Palavra) da Liturgia Sacramenti (liturgia sacramental), mas constitui o que se denomina “passagem para o rito”. É na homilia que o pregador busca na Palavra, proclamada e ouvida, uma atualização verificada na ação sacramental. Portanto, estas funções que a homilia executa coincidem numa conexão perfeita da Palavra de Deus ao hoje e aqui de nossa celebração ou de nossa vida.

Assim, a homilia é bem diferente de outros gêneros de “oratória sagrada”. Ela é parte fundamental do quesito Família Eclesial. A homilia é via para se aproximar das pessoas como um pai que fala de Deus aos corações de seus filhos.

Escrito por Sérgio Rubens M. Santos, Seminarista

Nenhum comentário:

Veja também

REFLITA

Ter uma vida positiva é ter consciência que o universo precisa de você; é lutar pelos SONHOS de maneira determinada; é crescer sem precisar diminuir ninguém; é ter a verdade como um principio vital; é usar o poder da ousadia construtiva; é saber agradecer e perdoar, fraterna e totalmente; é priorizar a família; é viver cada dia de uma vez, sendo alegre no presente e otimista no futuro; é respeitar o próprio corpo; é se preocupar com os mais carentes; é preservar a natureza; é não se abater nos momentos de dor; é jamais perder a esperança; é ter auto estima; é ser rico em humildade; é sempre fazer a sua parte...Pois quando você faz a sua parte tenha certeza de que Deus fará a parte dele.

BLOG'S DO IVSON

SEGUIDORES